EM TERRA DE PRÍNCIPES E PRINCESAS TAMBÉM HÁ FÓRMULA 2

By May 22, 2019Fórmula 2

E pronto, a Fórmula 2 chega ao circuito onde todos os pilotos querem vencer e onde tudo pode acontecer, Monte Carlo. Receber o troféu das mãos do Príncipe Alberto é um marco na carreira de qualquer piloto e um sonho concretizado. Para além disso é uma pista muito especial, onde muitas vezes não ganha nem o melhor carro, nem o melhor piloto.

Se há pista onde a pole position é fundamental é em Monte Carlo. Com poucos pontos de ultrapassagem sair na frente e sobreviver à primeira curva é meio caminho andado. Desta forma, olhando para o que tem acontecido nas rondas anteriores, Luca Ghiotto tem de ser visto como o maior candidato. O italiano não tem conseguido transformar totalmente em resultados, o desempenho ao longo do fim-de-semana. A equipa Virtuosi UK venceu aqui com Artem Markelov, pelo que mostra que sabe como ganhar neste traçado e pode ser um natural aliado de Ghiotto. Em sentido contrário tem estado o líder do campeonato, Nicolas Latifi. O canadiano tem conseguido potenciar ao máximo as suas corridas, já ganhou três vezes, mesmo quando não parece ser o mais forte em pista. Mas a experiência tem sido fundamental e tem igualmente contado com um desempenho irrepreensível da equipa DAMS. Ainda na formação de Jean-Paul Driot está outro candidato, Sérgio Sette Câmara.

Nick de Vries ganhou aqui há dois anos a corrida sprint e vem embalado pelo triunfo igualmente na corrida mais curta em Barcelona. O talento por vezes faz a diferença no Mónaco, onde a margem de erro é mínima, pois são muito poucos os pontos em que um erro não acaba no rail. Jack Aitken é outro dos candidatos e podemos juntar aqui Artem Markelov, que regressa apenas este fim-de-semana no carro da MP normalmente tripulado por Jordan King, pois o britânico está em Indianápolis para as 500 milhas. O russo ganhou aqui no ano passado e já tinha ganho também em 2016, em ambas as ocasiões a corrida mais longa. A Carlin parece em dificuldades, o que deixa fora desta luta Louis Deletraz e Nobuharu Matsushita, outro que também ganhou aqui em 2016.

Mas este fim-de-semana é tão diferente de todos os outros, que as surpresas acontecem quase todos os anos. Um dos factores que ajuda ao factor surpresa é o facto de a sessão de treinos ser partida em duas, com um grupo de pilotos distinto em cada uma. O mais rápido no conjunto dos dois grupos garante a pole position e os restantes piloto do seu grupo alinham do lado ímpar da grelha. O melhor do grupo mais lento sai de segundo e os restantes alinham por ordem do lado par. E a sorte aqui joga papel decisivo, porque no limite o mais rápido pode estar num grupo em que os restantes nove são os mais lentos, mas que vão sair misturados com pilotos mais rápidos.

Esta semana também o horário é diferente. A corrida principal tem lugar na sexta-feira. Terá um total de 42 voltas e começa às 10h30. Sábado serão 30 voltas com início às 16h15.

Como sempre esperamos por si e pela sua participação na #F2Eleven.